Alvaro Veiga

Falando como um mero estudante de administração de empresas aos 23 anos, e necessitando respirar mais cultura e arte,  reconheço de alguma maneira que o mundo está muito mais  além das tecnicidades estudadas em cursos de gestão. Só quem sabe apreciar verdadeiramente uma arte (ou tenta fazê - lo da melhor maneira possível), tem o privilégio de sentir o intangível. E como diria o grande Rainer Maria Rilke, quando se referia às obras de arte, "...seres misteriosos cuja vida perdura ao lado da nossa, efêmera." E hoje, tendo a oportunidade de morar na capital Paulista, que é rodeada deste mundo capitalista e empresarial, espero poder usufruir um pouco mais de conhecimento sobre música, teatro, etc. Em "O homem e as viagens" Carlos Drummond de Andrade crítica à nossa existência dizendo: "Homem, bicho da terra tão pequeno, chateia - se na terra, lugar de muita miséria e pouca diversão...", e parafraseando com a citação de Milton Luis e com o grande poeta mineiro, tenho esperança que de fato o mundo tenha mais emprego, diversão e arte e que saibamos ver a beleza além dos escritórios. E particularmente posso dizer, "... Como é bom poder tocar um instrumento."

Alvaro Veiga

2015-05-26T01:25:54+00:00

Alvaro Veiga

Milton Pereira

Há mais de 30 anos como executivo de grandes empresas, hoje atua como Consultor em Liderança, Comunicação e Educação Corporativa.