0

RESPEITÁVEL PÚBLICO

UM HOMEM FEITO DE PAU

Deu um vento áspero,cheio de poeira e folhas secas;mas depois, já de tardinha, , a rosa dos ventos girou , e então veio do sul um ar frio e úmido ,que fez bem ao nosso focinho;desceu uma chuva mansa.

Mas,nesse dia , aconteceu muita coisa; e para não pensar, e para não sentir, andei longamente pela rua sob a chuva fina.Eu me sentia como feito de pau; um homem mecânico andando, lentamente andando, andando como qualquer homem andando em qualquer rua. Um homem maciço, sem nenhum espaço dentro dele para coração, memória, nem desespero: todo de pau.

Um homem de pau, de cara de pau, boca de pau, olhos de pau. Podem rir dele, serrá-lo em tábuas, parti-lo em achas de lenha, pintá-lo, queimá-lo, fazer dele mesa, cabide, canoa. Podem fazer dele tudo, menos fazê-lo sofrer.

Ele anda nas ruas neutras,dobra a indiferente esquina, ele caminha sem pressa.Sabe que em alguma parte há um relógio batendo os segundos , inexorável.

Sabe que vai acontecer alguma coisa desesperadamente triste, que ele não pode evitar. Por isso , para não sofrer, ele se fez de pau. Sabe o que vai acontecer; sabe, mas não pensa nisso, não sente.

Apenas vagamente, muito vagamente, como um pedaço de pau, com a seiva seca, mas que ainda tivesse uma distante consciência de árvore , muito vagamente sente que a chuva fina lhe faz bem, um inútil bem físico, a umidade. Água. Mas seus olhos estão secos e, por dentro, ele está seco, bruto, morto. Andando na rua, andando.

(Compartilho com os leitores essa crônica do grande RUBEM BRAGA. Trata-se de uma publicação em um jornal, em seção intitulada “Revista Nacional”, cujo recorte guardo há anos entre meus achados. Como nunca a encontrei nos livros do cronista, penso tratar-se de publicação exclusiva desse jornal cujo recorte não me permitiu identificá-lo nem saber a data da edição. Não poderia ser egoísta e deixar esse texto lindo permanecer perdido numa gaveta, “feita de pau” )

Milton Pereira

Há mais de 30 anos como executivo de grandes empresas, hoje atua como Consultor em Liderança, Comunicação e Educação Corporativa.

Deixe seu comentário