0

MOTIVAÇÃO: O GRANDE DESAFIO DO LÍDER

LEAD

Atitude vem de dentro.É o querer que se manifesta dentro de uma pessoa motivada a agir, a se comportar de alguma forma   (“A Força do Querer”) .Tem a ver com Motivação.É a busca interna de “motivos para ação”.Muitas vezes é imperceptível, pois  não se traduz em comportamento observável.Outras vezes o próprio comportamento externalizado não corresponde ao que uma pessoa efetivamente quer em um determinado momento.É aquela velha indagação:o que será que está motivando aquele funcionário naquele dia,naquele momento?

Penso que resida nesse ponto a dificuldade mais comum para se lidar com gente.Daí é que surgem os habituais comentários: “é difícil fazer gestão de pessoas; se não houvesse pessoas,era mais fácil: as máquinas não fazem greve,não reclamam hora-extra e não têm sindicatos;o que será que essas pessoas querem mais?” Mas como seria possível uma empresa só de máquinas e robôs?

Essa “questão atitudinal” é inerente ao ser humano.Essas dificuldades se manisfestam em todo lugar:na família ,na escola,nos ambientes sociais…O desafio de lidar com elas é que nos diferencia dos seres irracionais. “Gado a gente marca,tange e ferra ,engorda e mata,mas com gente é diferente.” ***

O QUE PODEM/DEVEM FAZER OS LÍDERES

A visão estreita sobre motivação leva gerentes/chefes a tratarem -na com paliativos.Nem quero entrar agora na velha discussão sobre salário x motivação,mas o certo é que as ações das chefias são sempre calcadas em estímulos de efeito efêmero:tapinhas nas costas, elogios, aumento salarial e coisas do tipo. Não posso também desqualificar essas ações que,dentro dos rigores da sinceridade,da justiça e do respeito, devem fazer parte do repertório dos líderes na lida diária com seus liderados.Só acho que isso não é suficiente para criar na empresa um “ambiente motivacional” duradouro,em que as pessoas encontrem no trabalho suas razões,seus próprios motivos, para se dedicarem com motivação,comportando-se  a partir de atitudes positivas.

Atitudes positivas dos funcionários estão intimamente relacionadas a propósito,valores,felicidade.Hoje esses temas fazem parte das agendas das melhores empresas para se trabalhar.

Eis aí o ponto nevrálgico para se estabelecer a diferença entre Líder e Chefe. O Líder deve orientar sua equipe por propósito,disseminando valores que levem as pessoas a se sentirem bem e desafiadas a realizar seu trabalho com vontade,dedicação e no limite de suas competências.Elas têm que se sentir felizes no trabalho,reduzindo aquela “tortura” de terem que voltar à empresa todas as Segundas-Feiras. “Por que e para que estamos trabalhando?”

Devemos reconhecer que isso não é fácil.Há importantes condicionantes para um Líder “orientar sua equipe por propósito”.A cultura da empresa é um deles. É ela que cria coesão e conexão entre as pessoas.E os líderes têm que contar com ela para que não sobrem a eles apenas “ações de chefe” (controlar,punir ,elogiar etc etc).A cultura da empresa deve privilegiar propósitos comuns , considerando , segundo visão humanista, a felicidade no trabalho como algo a ser buscado permanentemente. Um líder sozinho pode e deve influenciar a cultura,mas suas ações serão potencializadas se orquestradas com os demais líderes da empresa.

Outro condicionante para o “trabalho por propósito” é inerente às próprias pessoas que nem sempre conseguem identificar-se com propósitos e valores organizacionais. Nem sempre se mostram motivadas,cada uma com seus problemas e necessidades.Nesses casos prescrevem-se ações de coaching/avaliação/feedback/ orientação,reexame das atividades desenvolvidas e,no limite,”desligamento assistido”.É natural que haja pessoas que não se sintam vocacionadas a exercer certas funções ou mesmo trabalhar numa determinada organização.O debate sobre gerações Y e Z concentra-se muito nessa questão,enfocando uma declaração muito comum hoje em dia:“não gosto do que faço”. Nesse caso não há Líder que possa fazer alguma coisa (exauridas as tentativas citadas anteriormente).

Mas não há por que jogar a toalha…a matéria é mesmo complexa.Muitos artigos que tenho lido ,talvez por quererem facilitar as coisas, lançam mão de “receitas de bolo” do tipo: “o líder deve ser honesto, o líder deve ser focado etc etc”… “os 10 atributos da liderança”, “os 10 erros comuns dos líderes” (não sei por que tem que ser sempre 10!).Não atingem o cerne da questão motivacional.

DIMENSÕES ESSENCIAIS DA LIDERANÇA

Líder que é líder está sempre,com sua equipe, transformando alguma coisa,de uma posição A  para uma outra posição B. Não consigo imaginar Liderança,no seu real sentido, que não tenha a “transformação” com uma de suas “dimensões” essenciais. Líder ajuda a transformar a cultura da empresa, injetando novos valores e banindo valores indesejáveis (contra valores?).Líder ajuda a “transformar” as pessoas,promovendo contínuo “crescimento profissional”: um profissional tem que perceber que está se desenvolvendo,que entrou numa situação A e já se sente em B,em ambiente de aprendizagem. Líder,independentemente da área em que atua, ajuda a empresa a evoluir nas estratégias do negócio.Líder influencia o “ambiente” em que se insere a empresa.Exemplo:se a empresa atua na preservação ambiental,o líder,independentemente de sua área de atuação,incentiva sua equipe a engajar-se em ações direcionadas à causa.

A jornada do Líder ainda inclui as atividades de “gestor”. Sintonizado com as estratégias do negócio,o líder deve levar sua área a resultados.Por isso há que ter as competências de um bom gestor:planejamento,organização,controles orçamentários,financeiros,infraestrutura etc, etc.

A Liderança, repleta desses enormes desafios,gratifica e gera propósito ao próprio Líder,que tem um trabalho cheio de significado.De forma simples poderíamos dizer que é um baita upgrade na  antiga função gerencial. Organizações modernas e bem sucedidas investem em selecionar,desenvolver e manter líderes talentosos em todas as suas áreas.

CONCLUINDO:

Manter a equipe motivada requer orientá-la em torno de propósitos que deem significado ao trabalho.Aí estaremos falando em estratégia duradoura para gestão de pessoas.Confunde-se com o velho conceito de VISÃO na sua real acepção: levar as pessoas a conquistas, saindo do conforto de uma posição A para uma situação melhor em B. Talvez seja esse o mais relevante papel do Líder . O Líder gera na equipe a chamada “insatisfação positiva”(podemos sempre melhorar).

Conhecimentos e Habilidades são importantes para o Líder exercer seu papel de gestor. Como educador e transformador acrescentem-se Atitudes,fundamentais para a mobilização da equipe.Não se concebem líderes desanimados,pessimistas.O entusiasmo é fonte poderosa de mobilização dos seguidores.

Os líderes não são santos nem super-homens.Comparo-os mais com a figura de um maestro que, sem ser especialista em todos os instrumentos,conhece como ninguém a partitura e consegue tirar o máximo dos músicos ,criando releituras fantásticas de cada peça musical.E haja entusiasmo para reger uma “equipe” diversa cuja motivação dará o tom do sucesso .

*** Trecho da canção “Disparada”-Autores:Geraldo Vandré e Theo de Barros

 

Milton Pereira

Há mais de 30 anos como executivo de grandes empresas, hoje atua como Consultor em Liderança, Comunicação e Educação Corporativa.

Deixe seu comentário